Cassette Beasts (Review)

Há anos, a Game Freak anuncia um novo Pokémon e empurra um jogo praticamente idêntico ao anterior, salvo alguns bichos novos ou uma mecânica que nem sempre funciona tão bem. Talvez por conta disso, Cassette Beasts, novo jogo da distribuidora Raw Fury, pareça tão familiar, mas tão diferente ao mesmo tempo.

O jogo do Bytten Studios segue a base criada por Pokémon. Você começa em um local desconhecido e se vê na necessidade de lutar contra monstros, que podem ser capturados, treinados e utilizados em batalhas para alcançar um objetivo.

Parece o mesmo jogo, mas Cassette Beasts muda alguns elementos que acabam fazendo a verdadeira diferença. A primeira é que você não é um garotinho que quer ser um mestre, mas sim alguém que caiu em um mundo desconhecido cheio de monstros. Para capturá-los, você precisa usar um toca-fitas. Cada fita K7 pode guardar um bicho diferente, no qual você mesmo se transforma e parte para os combates. Ah, e você tem um companheiro para ajudar nas lutas.

Cassette Beasts

Isso vai ficando mais interessante quando você ainda descobre algumas mecânicas como a de se fundir com seu companheiro, criando um bicho completamente novo. Esse tipo de mecânica dá um ar de novidade ao jogo, mesmo ele sendo bastante familiar.

Existe algo bem legal que é o fato de as batalhas e a maneira como você as encara altera o tipo dos monstros. Caso você encontre um bicho de plástico e dê um ataque de fogo, ele pode derreter e se tornar um bicho venenoso. Esse é só um exemplo de algo que pode mudar completamente como você encara cada batalha, precisando criar um grupo bastante diversificado de monstros para capturar.

Outro elemento que faz a diferença é a história e a ideia de ela não ser tão infantil. Apesar de existir o objetivo de enfrentar 12 Ranger Captains, a versão dos chefes de ginásio, o jogador recebe a missão de enfrentar 8 Arcanjos, nome dados a monstros antigos que assombram o mundo. São eles que podem dar as respostas que você precisa para entender porque as pessoas foram parar lá e como voltar ao seu mundo de origem.

A apresentação disso tudo, mesmo com gráficos bonitinhos, é mais adulta, beirando em alguns momentos até as creepypastas que você encontra pela internet. Isso deixa Cassette Beasts mais interessante até por não deixar parecendo que você tá jogando só um clone de Pokémon, tem mais coisas ali.

Isso é ótimo, porém, ele ainda cai em alguma das mesmas armadilhas que a franquia da Nintendo/Game Freak cai. Isso porque, após um tempo, o jogo acaba se tornando um pouco repetitivo, além de a forma como os combates acontecem te colocarem em uma posição que após criar uma equipe forte de monstros, você perde completamente a motivação de tentar capturar mais.

Mesmo assim, Cassette Beasts é um ótimo RPG, que consegue aproveitar bem uma estrutura já bem estabelecida pra fazer uma baguncinha delicinha em cima. Não é perfeito, mas é uma boa pedida para quem já está cansado do bom e velho Pokémon.

Cassette Beasts foi avaliado no PC, com cópia cedida pela Masamune.